OFF | Crítica sobre “A Fera”: Uma resposta da natureza

OFF | Crítica sobre “A Fera”: Uma resposta da natureza

Por acaso, você já ouviu aquela frase: “A natureza não reage, ela se vinga?” Pois é, essa é a lição que podemos tirar, após assistir “A Fera”.

  • Trailer:
  • Sinopse: Em A Fera, Elba vive o papel do Dr. Nate Daniels, um recém viúvo que retorna para África do Sul, onde conheceu sua esposa pela primeira vez, em uma viagem há muito tempo planejada com suas filhas para uma reserva gerenciada por Martin Battles, um antigo amigo da família e biólogo da natureza selvagem. Mas, o que começa como uma jornada de cura e redescobrimento, se desdobra em uma luta por sobrevivência quando um leão, sobrevivente de caçadores furtivos, enxerga todos os humanos como inimigos e começa a persegui-los. Idris Elba é o protagonista nesse eletrizante thriller sobre um pai e suas duas filhas adolescentes que se encontram em uma caçada por um enorme leão, disposto a provar que a savana pode ter apenas um predador no topo.

O que esperar?

Nate Samuels é um pai, que decide reconstruir o relacionamento meio esquecido com suas filhas adolescentes. Para isso, viaja para o país de sua falecida esposa, na África. Porém, o que era pra ser uma viagem tranquila, passa a ser um pesadelo quando são atacados por uma fera.

Idris Elba (O Esquadrão Suicida) e Sharlto Copley (Luther), em A Fera, são melhores amigos. Juntos, encenam, respectivamente, o médico Nate Samuels e Martin Battles, um protetor dos animais na reserva ambiental. Já as atrizes Leah Jeffries (Percy Jackson) e Iyana Halley (O Ódio que Você Semeia) fazem as filhas e dão um show de interpretação, principalmente porque o filme é focado, apenas, nesses personagens. Sobretudo, obviamente, temos o famoso leão, que dá nome ao longa.

Minhas Impressões

Inicialmente, a parte de cenografia e fotografia estão lindas, porém no que diz respeito aos efeitos especiais, a produção pecou um pouco. Numa das cenas, por exemplo, podemos perceber que os animais criados por CGI, não apresentam certos requisitos básicos. Na verdade, para ser bem sincera, não passam uma certa veracidade, se comparado aos reais, o que causa estranhamento.

Contudo, podemos perceber, também, que em certas horas de A Fera, houve claramente uma influência dos filmes da franquia do Jurassic Park. Tais influências aparecem tanto no roteiro, quanto na direção. Entretanto, não é tão original e clássico, quanto o primeiro.

Conclusão

A Fera é um filme de suspense, aventura e drama familiar, que traz reflexões importantes sobre a caça ilegal nos países africanos. O diretor quis criticar, de forma clara, a caça ilegal de animais, como hipopótamos e elefantes. Paralelamente, também versa em cima do lucro que ela proporciona aos caçadores. Portanto, o objetivo essencial de A Fera é demonstrar, de forma direta, como a natureza já está cansada e saturada de ser sempre vítima de seres humanos cruéis, grande parte das vezes movidos, apenas, por dinheiro e ganância. Então, de maneira equilibrada, A Fera mostra que, pouco a pouco, a natureza se vinga da humanidade, mesmo que de forma bruta.

Como resultado, o longa cumpre bem o seu objetivo de entreter e passar lições importantes para os jovens de hoje em dia.

NOTA: 7,0
A Fera estreia, nos cinemas brasileiros, dia 11 de agosto de 2022.

Já conhece o nosso Portal no Twitter? Confira nossas Cabines de Imprensa
e Críticas do Portal sobre as Obras do Snyder! Acesse, também, o nosso site anexo, UmDCnauta,
para ficar por dentro das principais notícias das produções cinematográficas!

Thaoana Bokel

Uma pessoa viciada em cultura asiática, mas que faz umas pontas bem interessantes no mundo nerd, quando é pra salvar a pele dos amigos. Fã do Snyder, não tão fã da Marvel, assim, mas prometo ser neutra durante minhas críticas, então se não curtir, perdoe-me. Algumas cabines no currículo, um humor ácido e muita coisa pra contar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.