OFF | Crítica sobre “Não! Não Olhe!”

OFF | Crítica sobre “Não! Não Olhe!”

Jordan Peele fez de novo! O diretor de Corra e Nós, seguiu a linha de seus filmes anteriores, com títulos básicos, e assina a produção. Com isso, além de escrever e dirigir, Nope (título original), ganhou tradução em português para “Não! Não Olhe!”.

  • Trailer:
  • Sinopse: OJ (Daniel Kaluuya) e Emerald (Keke Palmer) começam a perceber fenômenos inexplicáveis em seu vasto rancho que os leva a um obsessivo labirinto: criar meios para filmar e registrar o mistério na câmera. No entanto, suas artimanhas para possibilitar a documentação, através de estratégias cada vez mais elaboradas e perigosas, colocam em risco a única coisa que eles realmente têm: o negócio suado de seu falecido pai.

Minhas Impressões

Peele teve sua estreia como diretor, com o espetacular filme Corra!, ao entregar um roteiro incitante de suspense/terror com um toque de crítica social. Igualmente ao seu segundo filme, Nós, o cineasta brincou com o conceito de Doppelgänger (sósias), adicionando menores tons de críticas sociais, mesmo que ainda presentes. Entretanto, em seu terceiro filme na carreira, Peele apresenta algo bem distante dos anteriores.

“Não! Não Olhe!” é, com certeza, um filme que será lembrado como marcante para a nova geração. O diretor sai, totalmente, da sua abordagem, mesmo para aqueles que já achavam que o diretor tivesse feito isso em Nós.

Dessa forma, aprofundando-se no fantástico, “Não! Não Olhe!” prende a atenção do começo ao fim. Neste sentido, lembra a estratégia que Steven Spielberg utilizou em seus filmes Tubarão e Contatos Imediatos de Terceiro Grau, onde manter o suspense era mais apreensivo, do que mostrar o assombroso ao público.

Conclusão

Com certeza, “Não! Não Olhe!” será um divisor na carreira do diretor, pois o público já espera que tenhamos alguma carga social como linha narrativa do longa, enquanto esta fica somente nos detalhes. Além disso, Jordan Peele mostra em seu nome filme que é um diretor capaz de contar diversas histórias, com protagonistas negros e coadjuvantes não-brancos (asiáticos, por exemplo), sem precisar trabalhar as mesmas pautas que são de costume. Portanto, por mais que elas estejam inseridas nos detalhes, agregam informações que foram apagadas da história ou nunca consideradas.

Não! Não Olhe!
Steven Yeun, Daniel Kaluuya, Jordan Peele, Keke Palmer e Brandon Perea, na premiere de “Não! Não Olhe!”

O longa é um fan service para quem consome a indústria do entretenimento, com um toque de Além da Imaginação. Ele satiriza produções de filmes e séries, citando os pensamentos que possuem em torno das obras e estúdios. Enfim, todo filmado com câmeras IMAX, a dica que deixo é: se puder, assista numa sala com esse suporte. É uma experiência única!

Para concluir, considero que Jordan Peele está no ápice de sua expressão criativa em “Não! Não Olhe!”. Afinal, é um diretor complexo que entrega obras com interpretações profundas, mesmo com histórias já contadas na grande tela.

NOTA: 8,5
“Não! Não Olhe!” estreia nos cinemas brasileiros em 25 de Agosto.

Já conhece o nosso Portal no Twitter? Confira nossas Cabines de Imprensa e Críticas do Portal sobre as Obras do Snyder!
Acesse, também, o nosso site anexo, UmDCnauta, para ficar por dentro das principais notícias das produções cinematográficas!

Andre Guilherme

É Andre, sem acento mesmo. Um viajante do Multiverso com Q.I elevado para Legos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.