OFF | Crítica sobre Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo

OFF | Crítica sobre Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo

Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo é um filme sobre uma heroína e tudo que se possa imaginar. ~ Eu explico. ~ Quantas vezes você já ficou imaginando como seria a sua vida, se fizesse algo diferente? Ou, já pensou como seria a sua vida se existisse um universo paralelo? Se esse é o tipo de pergunta que passa pela sua cabeça, então esse filme é pra você.

O filme é uma produção norte-americana, do estúdio A24 e dos irmãos Russo, e dirigido pela dupla Daniel Scheinert e Daniel Kwan. Seu elenco conta com atores de origem asiática, como Michelle Yeoh  (O tigre e o Dragão), Stephanie Hsu, Ke Huy Quan e James Hong. Além deles, temos atores americanos consagrados, como Jamie Lee Curtis.

  • Trailer:
  • Sinopse: Uma ruptura interdimensional bagunça a realidade e uma inesperada heroína precisa usar seus novos poderes para lutar contra os perigos bizarros do multiverso.

Minhas Impressões

Com um roteiro muito bem construído, atuações impecáveis e alusões a vários estilos cinematográficos, o filme mostra, de forma leve e divertida, a vontade de fugir da realidade. Além disso, apresenta uma jornada de autoconhecimento de uma mera imigrante chinesa, totalmente infeliz com a sua vida.

O filme é dividido em capítulos que representam, muito bem, o título do filme, mostrando Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo, literalmente.

Mesmo com muitos cenários e mudanças de um universo para o outro, o longa não ficou confuso. Pelo contrário, entrega um resultado bem dinâmico, fazendo com que seja fácil compreender a história por trás de cada mundo, através das decisões da protagonista. ~ O que colaborou para que ele ficasse interessante!

O que mais chama atenção em Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo, foi o cuidado que a produção teve em representar uma família chino-americana. Também em sua introdução ser toda em mandarim. Sem contar, é claro, que em nenhum momento, eles ridicularizaram a comunidade chinesa que mora nos Estados Unidos, mostrando que mesmo fazendo piada com algo, é importante manter o respeito.

Conclusão

Um dos pontos positivos do filme, é que ao mesmo tempo em que faz uma reflexão sobre os pensamentos da cultura asiática, também satirizam os filmes baseados em HQs. Quanto a isso, o ponto central foi o excesso de mundos e realidades. Mesmo com todo esse humor, os diretores tentaram passar mensagens bonitas, sérias e impactantes, como a aceitação social, o excesso de ódio no mundo atual, a importância da família e a aceitação de que cada ação gera uma reação.

Contudo, outro ponto alto de Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo, foi a participação especial da atriz veterana, Jamie Lee Curtis, que mesmo não sendo a personagem principal, roubou a cena. Ela encenou o papel de uma mulher burocrática, amargurada e extremamente odiável, que tem como base pensamentos pessimistas, dos quais, mais tarde, descobrimos o motivo.

No mais, fãs da cultura asiática e adeptos do multiverso vão se animar com esse longa, então não percam a estreia e assistam no cinema, com direito a pipoca e uma boa companhia!

NOTA: 9,0
Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo estreia, nos cinemas brasileiros, dia 23 de junho de 2022.

Já conhece o nosso Portal no Twitter? Confira nossas Cabines de Imprensa e Críticas do Portal sobre as Obras do Snyder! Acesse, também, o nosso site anexo, UmDCnauta, para ficar por dentro das principais notícias das produções cinematográficas!

Thaoana Bokel

Uma pessoa viciada em cultura asiática, mas que faz umas pontas bem interessantes no mundo nerd, quando é pra salvar a pele dos amigos. Fã do Snyder, não tão fã da Marvel, assim, mas prometo ser neutra durante minhas críticas, então se não curtir, perdoe-me. Algumas cabines no currículo, um humor ácido e muita coisa pra contar.

2 thoughts on “OFF | Crítica sobre Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.