OFF| Crítica sobre “Não se preocupe, Querida”

OFF| Crítica sobre “Não se preocupe, Querida”

Não se preocupe, Querida é um longa de suspense que traz reflexões não muito inovadoras, mas com um jeito diferente de transmitir uma mensagem. Antes de mais nada, eu explico: Como você estaria se vivesse nos anos 50, sem o estresse do dia a dia? Quem sabe, com uma linda casa num típico subúrbio americano, ao lado da pessoa que ama, o carro do ano e vizinhos considerados perfeitos? Provavelmente, a resposta seria: “Bem”, certo? Porém, o que a diretora novata Olivia Wilde apresenta, é que sempre há bem mais do que podemos enxergar por trás de uma vida, considerada por muitos, perfeita.

  • Trailer:
  • Sinopse: Uma dona de casa que vive em uma comunidade experimental, começa a suspeitar que a empresa de seu marido está escondendo segredos perturbadores.

Minhas Impressões

A princípio, o filme traz, como protagonistas, o cantor Harry Styles, estreando como ator e Florence Pugh (Adoráveis Mulheres), que é a alma do filme. Em Não se Preocupe, Querida a atriz nos prova, novamente, o porquê, em 2020, ter sido indicada ao Oscar de melhor atriz coadjuvante. Sua atuação nos prende e nos faz torcer por sua personagem, nas 2 horas de filme. Seu par romântico, Harry, também se destaca, sendo uma surpresa positiva, afinal sua atuação foi boa, para uma pessoa inexperiente no mundo cinematográfico.

Outra coisa muito positiva, observada em Não se Preocupe, Querida, é a edição. As transições de uma cena mais bonita, para algo mais aterrorizante, ou de um cenário para outro, foram super bem feitas! Isso sem contar que a equipe também soube muito bem trabalhar com alguns efeitos especiais mais delicados! Por este motivo, faz com que nos imerjamos melhor na mente da protagonista.

Da mesma maneira, falando em cenografia, tudo estava excelente! Isso porque era muito fácil perceber a intenção de Olivia Wilde, sobretudo com relação ao conceito do que é perfeição, ou até mesmo o “American Way of Life” (Estilo de Vida Americano). Paralelamente, as casas montadas, representando como seria uma casa da  década de 50 e os muscle cars, ou seja, o grupo de carros americanos esportivos ou coupé com 2 portas e motor potente, por exemplo foram bem fiéis à realidade dos EUA da época. Inclusive, podemos encontrar, simultaneamente, mais fidelidade da sua trilha sonora, é composta por vários cantores famosos da década, em questão.

Conclusão

Para concluir, com uma leve influência de filmes como ” Mulheres Perfeitas” e “Corra!” a diretora quis fazer algo mais inovador e tenso voltado pra um público mais viciado em filmes de suspense. Desta forma, fez com o que o roteiro tivesse alguns pontos positivos e outros negativos. Um dos positivos é que Não se Preocupe, Querida te deixa inquieto, do início ao fim. Já um dos negativos, porém, é que ele se perde no fim. Longe de contar spoilers, no entanto, as histórias de outros moradores poderiam ter sido um pouco melhor exploradas, para que não sobrasse pontas soltas na resolução do enredo. Entretanto, isso não ocorre. Por fim, o desfecho não é o que muitos desejariam pra esse Não se Preocupe, Querida, o que pode desagradar.

De maneira geral, pelo menos para mim, o longa foi uma agradável surpresa!

NOTA: 8
Não se preocupe, Querida estreia, nos cinemas brasileiros, dia 23 de setembro de 2022.

Já conhece o nosso Portal no Twitter? Confira nossas Cabines de Imprensa
e Críticas do Portal sobre as Obras do Snyder! Acesse, também, o nosso site anexo, UmDCnauta,
para ficar por dentro das principais notícias das produções cinematográficas!

Thaoana Bokel

Uma pessoa viciada em cultura asiática, mas que faz umas pontas bem interessantes no mundo nerd, quando é pra salvar a pele dos amigos. Fã do Snyder, não tão fã da Marvel, assim, mas prometo ser neutra durante minhas críticas, então se não curtir, perdoe-me. Algumas cabines no currículo, um humor ácido e muita coisa pra contar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.