A importância das mulheres no SnyderVerse

A importância das mulheres no SnyderVerse

Vamos começar esse texto, parafraseando a própria Beyoncé, apenas porque sim. Afinal, todos nós sabemos que “quem manda no mundo são mesmo as garotas”. ~ Lidem com isso, rapazes! ~ No Universo de Snyder não é diferente. É possível vermos, com facilidade, as mulheres ganhando destaques em suas participações. Lara-Lor Van, Diana Prince, Martha Wayne, Martha Kent e Lois Lane são alguns dos nomes mais importantes de toda a saga da Liga da Justiça de Zack Snyder, na DC. Seja com frases bonitas ou conselhos e gatilhos poderosos, as mulheres do SnyderVerso têm um peso enorme na narrativa deste universo cinematográfico, e eu posso provar. ~ O que para quem quer emplacar narrativas contra, é um tiro no pé.

Toda vez que assistimos um filme, é comum que tentemos imergir nos personagens. ~ Pelo menos, é o que acontece comigo com frequência. ~ Olhar para a personalidade deles, analisar a complexidade da construção de cada um, para entender as atitudes que, particularmente, narram a estória e, talvez até, se identificar com algum deles. Mas, como fazer isso se, por anos, obras de super-heróis não traziam figuras femininas centrais, a não ser que fossem sobre elas? Nas obras de Zack Snyder, no entanto, o que podemos perceber é que a cada clímax, dos vários atos de Liga da Justiça e dos filmes que compõem o arco principal do Snyderverso, as mulheres são a chave que alteram toda a dinâmica e narrativa do momento. Não tinha percebido? Vamos lá.

LARA-LOR VAN

Falar sobre Lara, a mãe biológica do Superman é um bom começo. Afinal, se Lara não tivesse apertado o botão, Kal-El não teria vindo para a Terra e sofreria o mesmo fim de Krypton, sendo engolido pelas chamas e erros do passado. O pontapé inicial do SnyderVerse foi dado por ela, salvando o seu filho da morte iminente.

DIANA PRINCE

Muito se fala sobre as Amazonas e suas capacidades de guerrear e defender o que é seu por direito. Aqui, antes de falar da Diana, precisamos enfatizar que Snyder deu às Amazonas, em sua versão para Liga da Justiça, uma força e uma garra maior do que na versão que foi ao cinema, em 2017. Nela, as Amazonas não só se defendem, como atacam e dão trabalho para o Lobo da Estepe. E, diferente também do que vimos naquela versão, o corpo da Mulher-Maravilha não foi objetificado, o que dá um salto de bom gosto para a versão de Zack Snyder, que convenhamos, devia ser cânone por todos os motivos já apresentados e os que seguirão, logo abaixo.

Diana Prince, por sua vez, a Mulher-Maravilha, consegue unir as qualidades das guerreiras e das mulheres fortes que conhecemos durante a vida. É experiente, acolhedora, lutadora e não desiste, sendo um pilar importantíssimo para esse universo. Diana é, inclusive, responsável pela criação da Liga da Justiça, já que enviou os arquivos para Bruce e, além disso, conseguiu convencer o Cyborg a se juntar ao grupo. Falar das qualidades de luta de Diana Prince é chover no molhado, mas é importante ressaltar que ela une as melhores qualidades de Batman e Superman em si mesma: Força e experiência. Sem falar que é uma exímia guerreira, ao mesmo tempo em que demonstra, acima de tudo, compaixão e humanidade por todos.

LOIS LANE

Poderosa, corajosa, investigadora e audaciosa. Mesmo sendo humana, Lois Lane tem seus poderes, assim como na HQ. Na visão de Zack Snyder, isso fica bem evidente, já que quebra totalmente o paradigma da mulher “indefesa”, do “sexo frágil”, uma vez que mostra uma versão dela mais próxima da realidade. Lois invade bases militares, se arrisca no deserto em meio a terroristas, nada sem rumo, em busca de uma lança de Kryptonita e se joga na frente de um Superman desorientado. Mesmo com todas essas qualidades, ainda tem tempo para ganhar prêmios jornalísticos, amar incondicionalmente e viver o luto. Inclusive, fica fácil de entender o porquê do Superman ter enlouquecido após sua morte!

MARTHA KENT E MARTHA WAYNE

Salve as Marthas! Batman e Superman existem há mais de 50 anos. Apesar disso, quase ninguém nunca explorou essa coincidência no nome das duas. Martha Wayne, apesar do pouco tempo de tela, é o início e o anoitecer ~ desculpem-me o trocadilho com a alvorada ~ da vida do Batman, como justiceiro. Martha Wayne ainda é, até os dias atuais do SnyderVerse, o motivo para o Batman ser o Batman. E, após Liga da Justiça de Zack Snyder, ela com certeza tem orgulho do seu filho.

Do outro lado da baía, temos Martha Kent, a mãe de Clark Kent. Trabalhadora e com mais tempo de tela que a mãe de Bruce, Martha também passou por maus bocados. Ameaçada por Zod e sequestrada por Luthor, ainda tem tempo para aconselhar o filho e tomar um café com a nora, sendo aquela mãe clássica que todos conhecemos. Martha Kent é, ainda, a razão para a união entre os dois melhores do mundo. Por fim, Martha Wayne e Martha Kent são duas grandes mulheres e ambas responsáveis pelos dois maiores heróis da Terra!

Conclusão

Dito isso, fica evidente que a participação das mulheres nos filmes que compõem o arco do Snyderverse é importante e necessária. Mas, fluem também de maneira natural e sem exageros. Nada além do que as HQs apresentam e muito bem estruturadas pelo Zack. Depois disso, fica difícil não entender a Beyoncé, certo? Quem manda no SnyderVerse são as garotas e elas são muito poderosas! ~ Ah, mas o Batman e o Superman também são gigantes! Sim, isso não se discute. Mas, que precisaram de mulheres para acalmarem os ânimos, precisaram. Como não amar Zack?

Vale lembrar, ainda, da senadora June Finch, que foi corajosa o suficiente e inteligente para entender os planos de Lex Luthor. Um exemplo de como os políticos devem ser! Aliás, como não só de fatos que recheamos este texto, é sempre bom citar que Samantha Win, intérprete da Amazona Euboea, disse que vê mais representatividade feminina na versão de Liga da Justiça de Zack Snyder, que na versão de 2017, como relatamos, nesta reportagem do Portal. ~ E muito obrigada por isso, sua linda!

Além dela, fica também o agradecimento à Deborah Snyder, a grande mulher ao lado do nosso diretor favorito, Zack Snyder. ~ E que, com certeza, deve puxar algumas orelhas e norteá-lo quando precisa. ~ De todo modo, é por essas e outras que não tem como deixar de defendê-lo, agradecê-lo, homenageá-lo e respeitá-lo. Justamente por isso, também, que lutamos, ao lado dele, pela Restauração de seu universo.

E você já mandou um #RestoreTheSnyderVerse no Twitter, hoje?


Já conhece o nosso Portal no Twitter?
Entre para o Fandom, acompanhe as novidades e faça parte dos Movimentos pró-Zack Snyder!

Raquel

Professora, palpiteira, resenhista, revisora, back-end, crítica dos haters, primeira-dama e Staff do SnyderCutBR. Uma entre os mais de 10 mil loucos, insanos, crentes, ~cultistas~, snydetes, stans, fãs, apoiadores, seguidores de Zack Snyder, de suas obras e do nosso Portal. Participante assídua do Release e #RestoreTheSnyderverse, no Brasil, CDF na escola, Nerd na vida adulta. Mergulhei de cabeça na DC e pra sair do padrãozinho, dei uma chance pra cultura asiática, transitando entre os dois universos culturais. 🤭🤫😘

5 thoughts on “A importância das mulheres no SnyderVerse

  1. Um texto Girl Power do jeito que eu gosto! Não me chamo Lara por conta da mãe do Superman, mas muita gente já me perguntou sobre isso! Acho que é mais uma maneira de perceber o quanto ela é significante pra história da DC!

    1. É exatamente sobre isso, Larinha! Ainda que com pouco tempo de tela, a relevância dela no filme é única. Não fosse por ela, nada teria acontecido dessa forma! E, francamente, se pensar, é uma cena que não precisava estar lá, mas Zack fez questão. Isso significa muito!
      Obrigada por ter vindo comentar! Significou muito pra mim!

  2. Senti falta de uma menção sobre a Mera, a diferença dela no SnyderCut pro corte do Whedon é gritante.
    As cenas dela lutando com o Lobo, e no Knightmare são bem legais, inclusive acho muito bacana ver ela com o tridente de Atlan.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.